Laboratório de Psicopatologia Fundamental

São Paulo, 17 de outubro de 2017

Periódicos > Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental > Instruções aos autores

 

 

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental

 

Instruções aos autores

 

Escopo e política


Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental – RLPF – é órgão oficial da Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental – AUPPF, sociedade científica que reúne professores doutores de universidades de todo o mundo.

 

Dedica-se à publicação de editorial, artigos e resenhas originais de psicopatologia que levam em consideração a subjetividade. Além disso, publica ensaios raros e de difícil acesso, que são documentos históricos relevantes para outras pesquisas. Valoriza artigos e ensaios inéditos resultantes de pesquisas utilizando o método clínico baseado em relato de caso contendo questão obscura e enigmática a ser investigada.

 

A revista é dirigida por dois editores responsáveis e por Editores Associados que respondem pelas seções específicas. Possui, também, Conselho Editorial e Conselho Científico atuantes.

 

“Editorial” é assinado por Editores Responsáveis ou por alguém convidado, podendo também ser submetido por pessoa com explícito conhecimento a respeito do assunto abordado. Deve apresentar conteúdo científico que justifique sua indexação, publicação e seguimento de desempenho, devendo incluir dados de autoria, afiliação institucional, referências bibliográficas e conteúdo que apresente potencial para receber citações.

 

A seção “Artigos” é de responsabilidade dos Editores Responsáveis e publica somente artigos inéditos, em português, inglês, espanhol e francês.

 

A seção “Saúde Mental” publica artigos inéditos sobre o tema em diversos países.

 

“Observando a Medicina” inclui artigos inéditos e/ou ensaios que revelam as mais recentes tendências contraditórias do campo médico.

 

“Clássicos da Psicopatologia” inclui artigos inéditos e ensaios sobre a psicopatologia clínica e descritiva dos séculos XVIII, XIX e XX.

 

“História da Psiquiatria” é composta por artigos inéditos e ensaios sobre o tema baseados em fontes históricas relevantes.

 

“Observando a Psiquiatria” contém artigos contraditórios sobre esse campo.

 

 “Literatura, Psicopatologia” contém artigos que examinam aspectos psicopatológicos de obras literárias.

 

“Primeiros Passos” publica artigos de autores iniciantes, estudantes de graduação e de aperfeiçoamento. Visa estimular o espírito científico, a criatividade e a autoria.

 

“Resenhas Bibliográficas”. Somente serão aceitas resenhas de caráter crítico que aportem novos conhecimentos além do simples resumo de uma obra.

 

Seleção de artigos

Artigos são apresentados voluntariamente ou por convite.

Uma vez recebido, todo artigo passa por um exame dos aspectos formais. Verifica-se, também, sua adequação à missão da revista. Em seguida, ele é enviado para um consultor externo.

 

Público-alvo

Médicos, psicólogos, psicanalistas, trabalhadores de saúde mental, historiadores, filósofos, psicoterapeutas e interessados em geral.

 

Taxas

A RLPF não cobra qualquer taxa para publicação de artigos


Forma e preparação de manuscritos

1) Objetivos

A Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental – RLPF é órgão oficial trimestral da Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental – AUPPF, e tem por finalidade veicular trabalhos científicos que possam contribuir para o avanço do conhecimento sobre o tratamento e a prevenção do sofrimento (pathos) psíquico. Valoriza artigos e ensaios resultantes de pesquisas utilizando o método clínico, ou seja, baseados em casos clínicos cujas questões fomentem a investigação e a elaboração teórica. apresentando aspecto obscuro e enigmático.


2) Seleção de artigos

Na seleção de artigos para publicação, avaliam-se a originalidade, a relevância do tema e a qualidade da metodologia científica utilizada, além da adequação às normas editoriais adotados pelo periódico. Não serão aceitos artigos sobre análise de personagens de livros ou de cinema. Não serão aceitos ensaios baseados em impressões, opiniões genéricas e ideológicas. Artigos teóricos e de revisão da literatura só serão publicados excepcionalmente. O fundamento clínico é requisito para publicação. Estudantes de graduação, mestrado ou doutorado poderão submeter artigos para publicação desde que em coautoria com o orientador. Artigos com mais de dois autores devem conter informações específicas sobre as contribuições de cada autor. Para publicação, dar-se-á preferência aos artigos produzidos pelos assinantes da Revista.


3) Ordem de autoria

O autor responsável pela integridade do artigo como um todo deve ser citado como primeiro autor. Coautores são orientadores, supervisores ou pessoas responsáveis pela escrita de parte do artigo.


4) Reconhecimentos

Todos os contribuintes – leitores de versões preliminares, fontes de informações e técnicos – devem receber reconhecimento explícito em nota no final do artigo.


5) Ineditismo do material

O conteúdo do material enviado para publicação na Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental não pode ter sido publicado anteriormente, nem submetido para publicação em outros locais. Para serem publicados em outros locais, ainda que parcialmente, necessitam aprovação por escrito do Editor Responsável. Os conceitos e declarações contidos no trabalho são de total responsabilidade dos autores.

 

6) Revisão por consultores externos

Todos os artigos publicados são comentados por consultores externos. Os pareceres devem estimular o aperfeiçoamento do artigo, quando este for considerado apto para ser publicado. A decisão sobre a aceitação do artigo para publicação ocorrerá, sempre que possível, no prazo de dois meses a partir da data de seu recebimento. O parecer é enviado aos autores preservando-se o anonimato. A Comissão Editorial se reserva o direito de introduzir modificações necessárias para adaptar os textos às suas possibilidades editoriais. Em caso de eventuais modificações substanciais, elas serão solicitadas aos autores.


7) Como enviar material

O trabalho para publicação pode ser escrito em português, espanhol, francês ou inglês. O material deve ser enviado aos Editores Responsáveis da Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, para: revistalatinodepsicopatologia@gmail.com

Enviar carta solicitando publicação do trabalho na Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental.

Obs: Figuras, tabelas, fotos, constarão de um arquivo separado, no formato adequado.


7.1) Carta de apresentação

Todos os autores devem assinar a carta enviada, fornecendo endereço completo (incluir CEP), telefone e correio eletrônico (e-mail) para contato.


7.2) Aspectos éticos

Na carta, os autores devem revelar eventuais conflitos de interesse (profissionais, financeiros e benefícios diretos ou indiretos) que possam influenciar os resultados da pesquisa. De maneira semelhante, os autores devem revelar todas as fontes de financiamento envolvidas no trabalho. Devem garantir também que respeitaram a privacidade e o anonimato das pessoas envolvidas.

Aprovação por um Comitê de Ética da Instituição onde foi realizado o trabalho, quando referente a intervenções (diagnósticas ou terapêuticas) em seres humanos.

Artigos assinados por mais de dois autores devem vir acompanhados de informação sobre a intervenção específica realizada por cada autor no texto.


7.3) Direitos autorais

 

Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons


8) Preparação do manuscrito

Artigos

Para a apresentação de artigos científicos, a Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental adota as normas da American Psychological Association (APA), 6a edição (as normas podem ser consultadas em Regras essenciais de estilo da APA (2012), em www.apa.org). Os artigos devem ser digitados em Times New Roman, corpo 12, espaço duplo (incluindo tabelas e referências), devendo ser, inclusive a do título, todas as páginas numeradas, com um máximo de 15 laudas de 2.100 caracteres cada. O artigo não deve ultrapassar 50.000 caracteres com espaços, excluídos resumos e palavras-chave, que não entram nessa contagem.


Resenhas

Não devem ultrapassar 6.000 caracteres com espaço.


Formato

Devem constar da primeira página: a) Título do artigo conciso e completo, descrevendo o assunto a que se refere (palavras supérfluas devem ser omitidas). As resenhas devem conter a versão do título para o alemão, chinês (mandarim) inglês, francês, espanhol e português; b) Nome dos autores. Os nomes serão publicados da maneira como forem enviados; c) Titulação acadêmica e indicação da instituição a que cada autor está filiado, com o respectivo endereço completo; d) Nome do grupo de pesquisa e instituição onde o trabalho foi realizado; e) Se foi subvencionado, deve-se indicar a entidade que concedeu o auxílio; f) Se foi baseado em dissertação tese acadêmica, deve-se indicar o título, ano e instituição onde foi apresentada; g) Se foi apresentado em reunião científica, deve--se indicar o nome do evento, local e data de realização.


8.1) Títulos, subtítulos e notas de rodapé: Deverão corresponder a notas não bibliográficas e reduzidas a um mínimo e colocadas ao pé das páginas, ordenadas por algarismos arábicos que deverão aparecer imediatamente após o segmento de texto ao qual se refere a nota.


8.1.1) As notas bibliográficas deverão obedecer o sistema autor/data, e a página indicada, entre parênteses, logo após a citação.

O texto deve ter uma organização de reconhecimento fácil, sinalizada por um sistema de títulos e subtítulos que reflitam essa organização.

Pequenas correções no texto poderão ser feitas pelo Editor ou pelo conselho Editorial da revista. Quando forem necessárias modificações substanciais, o autor será notificado e encarregado de fazê-las, devolvendo o trabalho reformulado no prazo estipulado na correspondência.


9) Resumos e descritores

Resumo

O artigo deve conter, na segunda página, seis resumos de mesmo teor, em alemão, chinês (mandarim) espanhol, francês, inglês e português. O resumo deve identificar objetivos, procedimentos e conclusões do trabalho. Deve ser escrito com muito cuidado, pois é lido para ajudar o leitor a decidir se vai ler o artigo. Trata-se, frequentemente, da única parte do artigo que é lido.

Deve conter, no máximo, sete linhas ou 490 caracteres com espaço. Deve ser claro e preciso, revelando o conteúdo geral do artigo e as principais conclusões. O resumo é um texto independente do artigo. Ele deve ser escrito por último, após a redação final do artigo.


Descritores

Os descritores, expressões que representam o assunto tratado no trabalho, devem ser em número de 4 (quatro), também em alemão, chinês (mandarim) espanhol, francês, inglês e português, fornecidos pelo autor.


10) Agradecimentos

Devem ser breves, diretos e dirigidos apenas a pessoas ou instituições que contribuíram substancialmente para a elaboração do trabalho e devem vir no final do trabalho, antes das referências bibliográficas.


11) Estrutura do texto

11.1) Referências bibliográficas

Referências bibliográficas devem aparecer no final do artigo, em ordem alfabética de sobrenome. Os autores devem certificar-se de que as referências citadas no texto constam da lista de referências com datas exatas e nomes de autores corretamente grafados. A exatidão dessas referências é de responsabilidade dos autores. Comunicações pessoais, trabalhos inéditos ou em andamento poderão ser citados quando absolutamente necessários, mas não devem ser incluídos na lista de referências bibliográficas; apenas citados no texto ou em nota de rodapé. A lista de referências deve seguir o modelo dos exemplos abaixo:


11.2) Artigos de periódicos (um só autor)

Os periódicos incluem publicações regulares, tais como revistas, jornais, boletins informativos e newsletters.

Berlinck, M. T. (1999, setembro). A dor. Revista Latinoamericana de Psicopatologia FundamentalII(3), 46-58.


11.3) Artigos de periódicos (dois autores)

Berlinck, M. T., & Fédida, P. (1999, junho). A clínica da depressão: questões atuais. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, III(2), 9-25.


11.4) Artigos de periódicos (três ou mais autores)

Canongia, A. I. C. et. al. (2001, outubro). A participação da enfermagem e do alunato nos grupos com pacientes psicóticos: um encontro fundamental. Pulsional Revista de Psicanálise, SãoPaulo, XIV(150), 27-31.


11.5) Artigos sem nome do autor

Editorial (2001, outubro). Pulsional Revista de Psicanálise, São Paulo, XIV(150), 3-4.


11.6) Livros

Berlinck, M. T. (2000). Psicopatologia Fundamental. São Paulo: Escuta.


11.7) Capítulos de livro

Berlinck, M. T. (1991). A histeria e o psicanalista. In M. T. Berlinck (Org.), Histeria (pp. 29-47). São Paulo: Escuta.


11.8) Dissertações e Teses

Marin, I. S. K. (2001). Sujeito e violência na contemporaneidade. Tese de doutorado, Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP, São Paulo, SP.


11.9) Trabalhos apresentados em congressos

Magalhães, M. C. R. (1995). Haverá psicanálise no século XXI ou A psicanálise tem futuro? Congresso O século da psicanálise, Salvador, BA, outubro.


11.10) Artigo de periódico em formato eletrônico

Berlinck, M. T., & Gama, C. A. P. (2002, janeiro). Agorafobia, espaço e subjetividade. Psychiatry On-Line Brazil, n. 7. Recuperado de <http://polbr.med.br/editorial.htm>.


11.11) Obra antiga e reeditada em data muito posterior

Freud, S. (1976). Três ensaios sobre a teoria da sexualidadeIn Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (pp. 117-196). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1905)


11.12) Autoria institucional

American Psychological Association (1994). Publication manual (4ª ed.). Washington, DC: Author.


11.13)  Comunicação pessoal

Pode ser carta, mensagem eletrônica, conversa telefônica ou pessoal. Cite apenas no texto, dando as iniciais e o sobrenome do emissor e a data. Não inclua nas referências.

Outros tipos de referência deverão seguir as Normas da APA, disponível na Internet no site http://www.apa.org

Se a lista de referências não seguir a norma adotada, os trabalhos poderão ser rejeitados, sem revisão de conteúdo.


11.14) Abreviações

As abreviações devem ser indicadas no texto em sua primeira aparição. Em seguida, não se deve repetir o nome por extenso.

 

Envio de manuscritos

Descrição dos procedimentos de tramitação dos manuscritos

Tão logo recebidos, os manuscritos são enviados para consultores externos, para comentário, acompanhados da carta e do roteiro abaixo. O comentário é encaminhado ao autor para realizar as alterações sugeridas.

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental utiliza sistema de avaliação de artigos através de consultores externos anônimos, seguindo política adotada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – Fapesp. Os consultores têm acesso aos nomes dos autores. Os nomes dos consultores externos dos artigos submetidos à publicação são sigilosos. Uma vez por ano, a RLPF publica a lista completa de consultores externos que emitiram comentários sobre os trabalhos publicados no volume.

 

 

 

Carta para consultor externo

 

São Paulo,

Ilmo(a). Sr(a).

Prof(a). Dr(a).

 

 

Prezado(a) Professor(a),

 

Estou encaminhando-lhe, para análise e parecer circunstanciado, o artigo “xxxxx”, recebido para publicação na Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental.

O parecer deverá ser apresentado no formulário anexo para ser devolvido no prazo máximo de 4 semanas. Não sendo possível a observância deste prazo, solicito que informe.

Mesmo que V.Sa. decida não utilizar o formulário específico, cada um dos quesitos ali constantes deverá ser explicitamente contemplado em seu parecer.

Levando-se em conta o grande número de artigos recebidos pela Revista e a constante busca por um padrão de excelência, solicito que o parecer seja o mais rigoroso possível. Solicito, também, sua especial atenção para a pertinência do artigo, já que este é periódico de psicopatologia fundamental e não de psicanálise, de psicologia, de psiquiatria etc. A questão do pathos psíquico em caso clínico deve, então, estar presente, bem como se valoriza a questão das interfaces entre as disciplinas ou saberes dedicados ao pathos. A Revista atribui especial importância para artigos baseados no método clínico e que prezem pela originalidade de suas ideias. Trabalhos repetitivos, de revisão bibliográfica e de divulgação não interessam, a não ser excepcionalmente. A suspeita de plágio deve ser acusada, para ser investigada pela editoria.            

Se, por alguma razão, V.Sa. não puder emitir um parecer, agradeceria a sugestão de nome e endereço de outro consultor ad hoc possível para este trabalho.

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental mantém sob rigoroso sigilo a identidade de seus consultores.

Contando com sua valiosa colaboração, envio-lhe os meus protestos da mais elevada estima e distinta consideração.

 

Prof. Dr. Manoel Tosta Berlinck

Editor Responsável

 

 

 

 

 

Roteiro de parecer

 

 

Título do trabalho: _____________________________________________________________

Por favor, marque sua opção nas questões abaixo, além dos comentários por escrito.

 

     1. Linha editorial: o trabalho é de psicopatologia que leva em consideração a subjetividade?

              (  ) sim  (  ) não

              Se não, por favor, sugira reformulações em seu comentário de revisão.

     2. Título: o título reflete clara, precisa e suficientemente o conteúdo do artigo?

              (  ) sim  (  ) não

     3. Resumo:

       3.1. o resumo fornece clara, precisa e suficientemente o conteúdo do artigo?

              (  ) sim  (  ) não

       3.2. o resumo contém os caracteres indicados nas instruções?

              (  ) sim  (  ) não

     4. Palavras-chave: as palavras-chave são adequadas ao texto e estão na quantidade exigida (4)?

              (  ) sim  (  ) não

     5. Relevância: o assunto tratado é relevante para ser veiculado pela Revista?

              (  ) sim  (  ) não

     6. Método:

     6.1. O caminho percorrido no texto é predominantemente:

              a) clínico (baseado em caso ou fragmento de caso)? (  ) sim  (  ) não

              b) de medicina baseada em evidência ou prova? (  ) sim  (  ) não

              c) epidemiológico? (  ) sim  (  ) não

               d) histórico? (  ) sim  (  ) não

              e) sociopolítico? (  ) sim  (  ) não

              f) teórico? (  ) sim  (  ) não

              g) filosófico? (  ) sim  (  ) não

              h) artístico? (  ) sim  (  ) não

              i) ideológico (baseado em juízos de valores sem fundamentação empírica? (  ) sim  (  ) não                        j) outro? (especificar)

       6.2. Há, no texto, indicações claras, precisas e sucintas do caminho percorrido em direção às

        conclusões?

              (  ) sim   (  ) não       

       6.3. O caminho percorrido é predominantemente indutivo, isto é, parte do observado para o geral

       e abstrato ou é predominantemente dedutivo, isto é, parte de sentenças gerais e abstratas em

        direção às conclusões?

              (  ) indutivo  (  ) dedutivo

       6.4. Quais as relações com o tempo que regem o texto?

           6.4.1. O caminho percorrido é apressado? (  ) sim  (  ) não

              6.4.2. O caminho percorrido é regido principalmente por frases de efeito mecanicamente

         aplicadas? (  ) sim  (  ) não       

              6.4.3. O caminho percorrido parte de uma situação problemática, em que se evidencia uma

              discrepância entre aquilo que é e aquilo que deveria ser (ou era esperado)?  (  ) sim  (  ) não

              6.4.4. Há, no texto, uma clara e precisa distinção entre juízos de realidade e juízos de valor?                     (  ) sim  (  ) não     

       6.5. Se o texto for clínico, há claras e precisas referências à singularidade do caso na forma de

       receber e tratar cada paciente segundo um conjunto de particularidades e contingências únicos

        que regem uma vida? (  ) sim  (  ) não  

              6.5.1. Se o texto for clínico, o relato do fragmento de caso é utilizado como fundamento dos

        argumento metapsicológicos? (  ) sim  (  ) não

              6.5.2. Se o texto for clínico, o relato do fragmento de caso é utilizado para ilustrar ou

              exemplificar a teoria? (  ) sim  (  ) não

       6.6. A psicopatologia empregada segue predominantemente o seguinte sistema classificatório:

              6.6.1. da medicina da alma? (  ) sim  (  ) não

              6.6.2. da psiquiatria descritiva? (  ) sim  (  ) não

              6.6.3. da Associação Americana de Psiquiatria (transtornos do DSM)? (  ) sim  (  ) não

              6.6.4. da Organização Mundial da Saúde (CID)? (  ) sim  (  ) não

              6.6.5. da psicanálise? (  ) sim  (  ) não

              6.6.6. outro (especificar)

       6.7. Se o texto for clínico, a relação é baseada predominantemente:

              6.7.1. na semiologia médica? (  ) sim  (  ) não

              6.7.2. na observação antropológica? (  ) sim  (  ) não

              6.7.3. na semiologia multidisciplinar da saúde mental? (  ) sim  (  ) não

              6.7.4. na transferência/contratransferência? (  ) sim  (  ) não

              6.7.5. outro (especificar)

       6.8. Se o texto for clínico, há intervenção? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1. Se sim, o método de intervenção é predominantemente:

              6.8.1.1. medicamentoso? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.2. ambulatorial (PS; Capes; Hospital-dia)? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.3. internação hospitalar? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.4. comportamental? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.5. experimental?  (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.6. pedagógico? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.7. educacional? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.8. interpretativo? (  ) sim  (  ) não

              6.8.1.9. outro (especifique)

 

   7. Linguagem: o trabalho obedece exigências de 1) objetividade, 2) estilo, 3) concisão e 4) correção

    da linguagem que representam condignamente o pensamento do autor?

              1) objetividade: (  ) sim   (  ) não

              2) estilo: (  ) sim   (  ) não

              3) concisão: (  ) sim   (  ) não

              4) correção: (  ) sim   (  ) não

              Se não, por favor, sugira modificações.

     8. Sequência lógica: o trabalho possui uma sequência lógica – 1) identificação, 2) descrição,

    3) argumentação, e 4) conclusão – que representa condignamente o pensamento do autor?

              1) identificação: (  ) sim   (  ) não

              2) descrição: (  ) sim   (  ) não

              3) argumentação: (  ) sim   (  ) não

              4) conclusão: (  ) sim   (  ) não

     9. Literatura: o trabalho menciona referências bibliográficas relevantes que contribuem efetiva-

    mente para a melhor compreensão e especificação para o assunto tratado?

              (  ) sim   (  ) não

              Se não, por favor, indique as omissões em seus comentários

     10. Plágio: as referências bibliográficas são explicitamente acusadas?

          (  ) sim   (  ) não

     11. Há suspeita de plágio? (  ) sim   (  ) não

     12. Conteúdo: 1) há caráter inovador do conjunto das ideias principais apresentadas no trabalho?

          (  ) sim   (  ) não

   13. Há correção das afirmações sobre fatos, provas ou evidências e informações pertinentes?

              1) caráter inovador: (  ) sim   (  ) não

              2) correção das afirmações: (  )   (  ) não

              Se não, por favor, comente as limitações encontradas no trabalho.

     14. Fundamentação: o trabalho apresenta argumentação fundamentada relativa ao tema?

              (  ) sim   (  ) não

              Se não, por favor, indique as faltas observadas.

     15. Conclusão: 1) as conclusões são relevantes para o avanço dos conhecimentos no campo da

     psicopatologia? 2) Há indicações de possíveis linhas de pesquisa a partir daí?

              1) conclusões relevantes: (  ) sim   (  ) não

              2) possíveis linhas de pesquisa: (  ) sim   (  ) não

              Se não, por favor, faça recomendações para modificação das conclusões.

     16. Aspectos éticos:

     16.1. na carta de apresentação os autores revelam eventuais conflitos de interesse (profissionais,

     financeiros e benefícios diretos e indiretos) que possam influenciar os resultados da pesquisa?

              (  ) sim  (  ) não

       16.2. os autores revelam fontes de financiamento envolvidas no trabalho?

              (  ) sim  (  ) não        

       16.3. os autores declaram respeitar a privacidade e o anonimato das pessoas envolvidas?

              (  ) sim  (  ) não        

     17. Enquadramento formal: o texto está de acordo com as “Instruções aos autores” da Revista?

              (  ) sim  (  ) não        

     18. Originalidade: o texto possui alguma contribuição original ou é uma repetição do já escrito?

                                   (  ) possui contribuição original      (   ) é repetição do já escrito e sabido

     19. Julgamento final:

              (  ) Deveria ser publicado, com prioridade. Não é necessário rever.

              (  ) Deveria ser publicado. Não é necessário rever.

              (  ) Deveria ser publicado, mas precisa ser revisto.

              (  ) Não deveria ser publicado.

 

   Comentários de revisão

     Por favor, escreva em letra legível. Não assine.

     Você faz objeção a que uma cópia seja enviada para o autor?

              (  ) sim   (  ) não

 

Se você acha que o trabalho não deve ser publicado como está, por favor, aponte as modificações que poderiam ser feitas para torná-lo publicável. Por favor, leve em consideração, especialmente, a contribuição do texto para o avanço do conhecimento.

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental

Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental

Avenida Onze de Junho, 1070 cj. 804

04041-004 Brasil - São Paulo - SP

e-mail:secretaria.auppf@gmail.com

home page: www.fundamentalpsychopathology.org.br  /   www.psicopatologiafundamental.org

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Instrucciones a los autores

Instructions for authors

Instructions aux auteurs

 www.fundamentalpsychopathology.org.br

 www.psicopatologiafundamental.org

 

ROTEIRO AUXILIAR AO AUTOR PARA VERIFICAR SE TODAS

AS NORMAS FORAM ATENDIDAS

 

 

 

Verifique se o seu trabalho contém, nesta ordem, o seguinte:

 

Folha de rosto personalizada (cf. item 6)

• Título do artigo em português e inglês

• Nome do(s) autor(es)

• Palavras-chave

• Titulação acadêmica e dados institucionais do(s) autor(es)

• Endereço completo (rua, cep, cidade, estado, telefone, e-mail)


Resumo (cf. item 7)

• Resumos em alemão, chinês (mandarim), espanhol, francês, inglês e português, acompanhados de 4 palavras-chave também nesses idiomas. É de suma importância atender ao número máximo de 7 linhas ou 490 caracteres com espaços para o resumo.


Direito autoral

• Carta-termo de transferência de direitos autorais (cf. item 5.3).


Referências

• Verificar se todos os autores citados no texto constam das referências, com data, local, editora e número de página quando for o caso (por exemplo, quando se tratar de revistas).


Ao preparar arquivos para editoração eletrônica

• Passe o texto por um programa de revisão ortográfica; confira a numeração das páginas.

• Grave os artigos de texto em formatos padrão do processador usado, dando preferência para os formatos mais comuns. Mesmo que você esteja usando a versão mais recente dos programas, evite gravar no formato mais sofisticado.

• Figuras não produzidas eletronicamente devem ser encaminhadas em qualidade de fotografia sem execeder as dimensões 10x13cm. Figuras com imagens devem ser gravadas em Adobe PhotoShop 6.0 ou superior. Não gravar em formato .BMP nem em formatos compactados. Dar preferência para formato .TIF não compactado.

• Ao usar scanner para reproduzir figuras, dar preferência a resoluções de, no mínimo, 300 DPI, nos modos Desenho (desenho) ou Gray Scale (fotos).


Ao remeter a versão reformulada para a revista

• Encaminhe carta ao editor, reiterando o interesse na publicação e informando quais as alterações foram efetuadas. Se houver discordância quanto a recomendações do consultor externo, apresente os argumentos que justifiquem sua posição.

• Encaminhe o texto por e-mail, de acordo com as Instruções aos Autores.