Laboratório de Psicopatologia Fundamental

São Paulo, 17 de outubro de 2017

Bibliografias > Violência

Referências fornecidas pela Profa. Dra. Isabel Kahn Marin - abril de 2005.
 
 
 
AISENSTEIN, M. Du non sens au sens. In: CORNUT, J. et al. Le mal-être (Angoisse et violence). Débats de Psychanalyse. Paris: PUF, 1998, p. 193-8.
 
AISENSTEIN, M. Du non sens au sens. In: CORNUT, J. et al. Le mal-être (Angoisse et violence). Débats de Psychanalyse. Paris: PUF, 1998, p. 193-8.
 
APPOA – Revista da Associação Psicanalítica de Porto Alegre. Psicanálise em tempos de violência. Porto Alegre: Artes e Ofícios, ano VI, n. 12.
 
ARENDT, H. Du mensonge à la violence. Paris: Calmann-Lévy, 1972.
 
ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.
 
ATLAN, H. Tout mon peut-être – éducation et verité. Paris: Seuil, 1991.
 
AULAGNIER, P. A violência da interpretação. Do pictograma ao enunciado. Rio de Janeiro: Imago, 1975.
 
BALIER, C. Analyse psychopathologique des comportements violents. In: L’illégitime violence. Ramonville Saint-Agne: Érès, 1997, p. 79-93.
 
BELL, D. O advento da sociedade pós-industrial. São Paulo: Cultrix, 1977.
 
BERGERET, J. La violence fondamentale. Paris: Dunod, 1996.
 
BERLINCK, M. T. Função e campo da transferência na psicanálise. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano VIII, n. 72, abr/1995.
 
BIRMAN, J. Mal-estar da atualidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.
 
BIRRAUX, A. Violence à l’adolescence et clivage du moi. In: L’illégitime violence. Ramonville Saint-Agne: Érès, 1997, p. 131-44.
 
BLANCHOT, M. A conversa infinita – 1. A palavra plural. São Paulo: Escuta, 2001.
 
BRETON, P. Le culte de l’Internet, une menace pour le lien social. Paris: La Découverte, 2000.
 
CADERNOS do Fórum S. Paulo Século XXI. Caderno 7, Segurança. São Paulo, Governo do Estado de São Paulo/Seade/Assembléia Legislativa/Fórum São Paulo 21 – Pensando São Paulo.
 
CALLIGARIS, C. Educa-se uma criança? Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1994.
 
CASTELLS, M. Fim de milênio. In: A era da informação: economia, sociedade e cultura, São Paulo: Paz e Terra, v. 3, 1999.
 
CASTORIADIS, C. Figures du pensable. In: Les carrefours du labyrinthe VI. Paris: Seuil, 1999.
 
CECCARELLI, P.R. O sexual da violência. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano XI, n. 106, fev/1998.
 
CEFALI, M. Educar, uma profissão impossível – dilemas atuais. Estilo da Clínica. Revista sobre a Infância com Problemas, São Paulo: IPUSP, v. IV, n. 7, II sem./1999, p. 138-50.
 
CHARNY, I. W. Anatomia do genocídio. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 1998.
 
CHAUÍ, M. A não violência do brasileiro: um mito interessantíssimo (1980), mimeo.
 
CORNUT, J.; ISRÄEL, P.; JEANNEAU, A. e SCHAEFFER, J. Le mal-être (angoisse et violence). Paris: PUF, 1997.
 
COSTA, J. F. Violência e psicanálise. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1986.
 
COURAUD, S. L’acte criminel à l’adolescence. In: Marty, F. (org.). L’illégitime violence. Ramonville Saint-Agne: Érès, 1997, p. 111-28.
 
DADOUN, R. La violence. Paris: Hatier, 1993.
 
DANZIGER, C. Violence des familles. Maladie d’amour. Paris: Ed. Autrement, 1997.
 
DEBARDIEUX, E. La violence dans la classe. 4. ed. Paris: ESF Editeur, 1995.
 
DELEUZE, G. Sade masoch. Lisboa: Assírio e Alvim, 1973.
 
DELUMEAU, J. La peur en Occident. Paris: Fayard, 1978.
 
DERRIDA, J. Estados-da-alma da psicanálise. O impossível além de uma soberana crueldade. São Paulo: Escuta, 2001.
 
DESWAENE, B. Estresse, violência, adolescência e sociedade: um problema para a psicanálise. Psicanálise e Universidade, São Paulo, Educ, n. 9 e 10, p. 13-34, jul-dez/1998–jan-jun/1999.
 
DOLTO, F. La dificuldad de vivir. Barcelona: Gedisa, 1982.
 
DUMONT, L. O individualismo. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.
 
DUMÉZIL, G. Heur et malheur du guerrier. 2. ed. Paris: Flammarion, 1985.
 
DUVIDOVICH, E. Violência e subjetivação. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano XI, n. 108, p. 41-6, abr/1998.
 
DÉBORD, G. A sociedade espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.
 
ECO, U. Cinco escritos morais. Rio de Janeiro: Record, 1997.
 
EDLER, S. P. B. O duplo mestre e a violência no Rio de Janeiro. IV Fórum Brasileiro de Psicanálise – A cultura da ilusão, Rio de Janeiro, p. 230-33, 4 a 7 set/1997.
 
ENRIQUEZ, E. O trabalho da morte nas instituições. In: KAES, R. (org.). A instituição e as instituições. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1991.
 
ENRIQUEZ, M. Nas encruzilhadas do ódio. São Paulo: Escuta, 2000.
 
ETIEMBLE, R. Confucius. De – 551(?) a 1985. Paris: Gallimard, 1986.
 
FARIAS, F. R. Crime e violência: paixão e desregramento social? IV Fórum Brasileiro de Psicanálise – A cultura da ilusão. Rio de Janeiro, p. 227-29, 4 a 7 set/1997.
 
FARRINGTON, B. A doutrina de Epicuro. Rio de Janeiro: Zahar, 1968, p. 36-7.
 
FERENCZI, S. Obras completas. São Paulo: Martins Fontes, 1992. v. IV.
 
FERRAZ, F. Violência e medo. Pulsional Revista de Psicanálise, São Paulo, v. XIV, n. 147, p. 12-20, jul/2001.
 
FERREIRA, A. J. Mitos familiares. In: SLUZKI, C. (org.). Interacción familiar. Buenos Aires: Tiempo contemporaneo, 1974, p. 154-63.
 
FIGUEIREDO, L. C. Sobre pais e irmãos. Mazelas da democracia no Brasil. In: KEHL, M. R. Função fraterna. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000.
 
FLEIG, M. (org.). Psicanálise e sintoma social. São Leopoldo: Unisinos, 1993.
 
FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1977.
 
FREUD, S. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (E.S.B.). Rio de Janeiro: Imago, 1996.
 
FUKS, M. P. Mal-estar na contemporaneidade e patologias decorrentes. Psicanálise e Universidade, São Paulo, Educ, n. 9 e 10, p. 63-78, jul-dez/ 1998– jan-jun/1999.
 
FÉDIDA, P. Nome, figura e memória. São Paulo: Escuta, 1992.
 
GABEL, M. (org.). Crianças vítimas de abuso sexual. São Paulo: Summus, 1997.
 
GARBARINO, J. Lost Boys. Why our Suns… New York: The Free Press, 1999.
 
GARCIA-ROZA, L. A. O mal radical em Freud. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.
 
GAY, P. A experiência burguesa da rainha Vitória a Freud. O cultivo ao ódio. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
 
GHIRALDELLI Jr., P. (org.). Infância, escola e modernidade. São Paulo: Cortez/Editora UFPR, 1997.
 
GIRARD, R. A violência e o sagrado. São Paulo: Paz e Terra, 1998.
 
GOFMANN. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.
 
GOODWILLIE, S. (ed.). Voices the Future. Washington: Children’s Express, 1993.
 
GREEN, A. Narcisismo de vida, narcisismo de morte. São Paulo: Escuta, 1988.
 
GREGORI, M. F. (org.). Desenhos familiares. São Paulo: Unesco/Fundação Bank Boston/Editora Alegro, s/d.
 
GROSSI, E. e BORDEN, J. (org.). Paixão de aprender. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1993.
 
GRUYER, F.; FADIER-NISSE, M. e SABOURIN, P. La violence impensable. Paris: Nathan, 1991.
 
GUERRA, V. N. de A. Violência de pais contra filhos. A tragédia revisitada. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1998.
 
GUILLAUMIN, J. (org.). L’invention de la pulsion de mort. Paris: Dunod, 2000.
 
HANDT, B.; BENITES, L.; FACHINETTO, L. e SILVA, R. C. Delinqüência e maus-tratos: uma questão de filiação? In: FLEIG, M. (org.). Psicanálise e sintoma social. São Leopoldo: Unisinos, 1993, p. 79-100.
 
HANNS, L. Dicionário comentado do alemão de Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996.
 
HASSOUN, J. L’obscur objet de la haine. Paris: Aubier, 1997.
 
HIRIGOYEN, M. F. Le harcèlement moral. Paris: Syros, 1998.
 
HOBSBAWN, E. O novo século. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
 
JAEGER, W. Paideia. São Paulo: Martins Fontes, 1979.
 
JAMESON, F. El posmodernismo o la logica cultural del capitalismo avanzado. Buenos Aires: Paidós, 1992.
 
JEAMMET, P. Destins de la violence. Coloque de Monaco, Journal de Psychanalyse de l’enfant, Paris, Bayard, n. 18, 1995.
 
JERUSALINSKI, A. e TAVARES, E. Era uma vez…já não é mais. Folha de S. Paulo, Caderno “Mais”, 24/7/1994.
 
JULIEN, P. A feminilidade velada. Aliança conjugal e feminilidade. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 1997.
 
KEHL, M. R. A fratria órfã. In: KEHL, M. R. (org.). Função fraterna. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000, p. 209-44.
 
KLEIN, M. Contribuições à psicanálise. São Paulo: Mestre Jou, 1982.
 
KOLTAI, C. O estrangeiro. Política e psicanálise. São Paulo: Escuta, 2000.
 
KUPFER, M. C. Freud e a educação. O mestre do impossível. São Paulo: Scipione, 1989.
 
LACAN, J. La familia. Argentina: Homo Sapiens, 1977.
 
LAGACHE, D. La psychanalyse et la structure de la personalité. In: La Psychanalyse. Paris: PUF, 1958.
 
LAJONQUIÈRE L. de. Psicanálise, modernidade e fraternidade. In: KEHL, M. R. (org.). Função fraterna. Op. cit., p. 51-80.
 
LAPLANCHE, J. e PONTALIS, J.-B. Vocabulário da psicanálise. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
 
LASH, C. A cultura do narcisismo. Rio de Janeiro: Imago, 1983.
 
LE GOFF, J. Un autre moyen age. Paris: Gallimard, 1999.
 
LE RIDER, J.; PLON, M.; RAUALET, G.; REY-FLAUD, H. Autour du Malaise dans la culture de Freud. Paris: PUF, 1998. (Em português: Em torno de O mal-estar na cultura, de Freud. São Paulo: Escuta, 2002.
 
LECLAIRE, S. Mata-se uma criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.
 
LEFORT, R. Nacimiento del otro. Buenos Aires: Paidos, Biblioteca Freudiana, 1983.
 
LEITE, M. P. de S. e CAZOTTE, J. O Deus odioso. O diabo amoroso. São Paulo: Escuta, 1991.
 
LEVEBVRE, H. Introduction à la modernité. Paris: Minuit, 1962.
 
LEYS, S. La forêt en feu. In: Essais sur la Chine. Paris: Robert Lafond, 1998.
 
LUCINDA, M. C.; NASCIMENTO, M. G. e CANDAU, V. M. Escola e violência. Rio de Janeiro: DPeA Editora, 1999.
 
LYOTARD, J. F. La condition postmoderne. Paris: Minuit, 1979.
 
LÉVISKY, D. L. (org.). Adolescência e violência. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
 
MAGALHÃES, C. (org.). Na sombra da cidade. São Paulo: Escuta, 1995.
 
MANNONI, M. Educação impossível. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.
 
MARIN, I. K. Instituição e violência, violência nas instituições. In: LEVISKY, D. (org.). Adolescência pelos caminhos da violência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.
 
MARTY, F. Violences à l’adolescence. In: MARTY, F. (org.). L’illégitime violence. Ramonville Saint-Agne, Érès, 1997, p. 7-17.
 
MATTELARD, A. Histoire de la societé de l’information. Paris: La Découverte, 2001.
 
MECLER, M. Da agressividade à violência: um estudo. IV Fórum Brasileiro de Psicanálise – A cultura da ilusão, Rio de Janeiro, 4 a 7 set. 1997, p. 234-36.
 
MEIRELES, M. Anomia: a patologia social na virada do milênio. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.
 
MELMAN, C. Alcoolismo, delinqüência, toxicomania. São Paulo: Escuta, 1992.
 
MELÈSE, M. A. “L’oublie de l’éthique” dites vous? Che Vuoi?, Paris: L’Harmathan, n. 10, L’inespoir, 1998.
 
MENEZES, L. C. Questões sobre o ódio e a destrutividade na metapsicologia freudiana. Percurso. Revista de Psicanálise, São Paulo, ano III, n. 7, 2o sem/1991.
 
MEYER, M. O filósofo e as paixões. Esboço de uma história da natureza humana. Porto: ASA, 1994.
 
MICHAUD, Y. La violence. 5. ed. Collection Que Sais-je? Paris: PUF, 1999.
 
MILLOT, C. Freud antipedagogo. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.
 
MORIN, E. Introduction à une politique de l’homme. Paris: Seuil, 1996.
 
McDOUGALL, J. As múltiplas faces de Eros. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
 
ORLANDI, E. As formas do silêncio. Campinas: Ed. da Unicamp, 1992.
 
PASSETTI, E. (org.). Violentados. Crianças, adolescentes e justiça. São Paulo: Imaginário, 1999.
 
PASSOS, T. C. R. P. Violência: comportamento predatório ou uma questão de estrutura? IV Fórum Brasileiro de Psicanálise – A cultura da ilusão, Rio de Janeiro, 4 a 7 set/1997, p. 223-26.
 
PELLEGRINO, H. Pacto edípico e pacto social. In Py, L. A. (org.). Grupo sobre grupo. Rio de Janeiro: Rocco, 1987, p. 195-205.
 
PERALVA, A. Violência e democracia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.
 
PEREIRA, C.A.M.; RONDELLI, E. e SCHOLLHAMMER, K. E. (org.). Linguagens da violência. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.
 
PEREIRA, M. E. C. A questão psicopatológica do pânico examinada à luz da noção metapsicológica de desamparo. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano IX, n. 84, abr/1996.
 
PERRIER, F. Ensaios de clínica psicanalítica. São Paulo: Escuta, 1992.
 
PHILOSOHES TAOÏSTES. Lao-tseu, Tchouang-tseu, Lie-tseu. Paris: Pléiade, Gallimard, 1980.
 
PINCUS e DARE. Psicodinâmica da família. Porto Alegre: Artes Médicas, 1981.
 
PINHEIRO, P. S. Violência na democracia. IDE. Revista da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, n. 30, p. 14-25, 2o sem/1997.
 
POSTMAN, N. O desaparecimento da infância. Rio de Janeiro: Graphia, 1999.
 
PULSIONAL – Boletim de Novidades da Livraria Pulsional. São Paulo, ano IX, n. 90, out/1996.
 
RASSIAL, J. J. Y-a- t-il une psychopathologie des banlieus?. Ramonville Saint-Agne: Érès, 1998.
 
RENAUX, C. C. C.; AZAMBUJA, D.C. e PINTO, O. L. Violência gratuita. IDE. Revista da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, n. 30, p. 26-32, 2o sem/1997.
 
REY FLAUD, H. Les fondements metapsychologiques de malaise dans la culture. In: Le Rider, Plon, M.; Raulet, Rey Flaud (org.). Autour du Malaise dans la Culture de Freud. Paris: PUF, 1998. (Em português: Em torno de O mal-estar na cultura, de Freud. São Paulo: Escuta, 2002).
 
REYES, A. La dévoration. In: DANZIGER, C. Violence des familles, maladie d’amour. Paris: Ed. Autrement, 1997, p. 50-60.
 
RICHARD, F. Violence sacrificielle et pulsion de mort à l’adolescence. In: L’illegitime violence. Ramonville Saint-Agne: Érès, 1997, p. 47-63.
 
ROSENBERG, B. Masochisme mortifère et masochisme gardien de la vie. Paris: PUF, 1995.
 
ROUDINESCO, M. e PLON, M. Dicionário de psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
 
SCHNEIDER, M. Afeto e linguagem nos primeiros escritos de Freud. São Paulo: Escuta, 1994.
 
SENEQUE. Entretiens/Lettres à Lucilius. Edição sob os cuidados de Paul Veyne. Paris: Robert Laffont, 1993.
 
SILVA, H. e MILITO, C. Vozes do meio-fio. Rio de Janeiro: Relume- Dumará, 1995.
 
SITTERLIN, R. La violence. Paris: Quintette, 1996.
 
SOARES, J. C. Mal-estar na modernidade tardia globalizada. Revista Ciências Humanas, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 13-25, dez/1998.
 
SOUZA, E. L. A. de (org.). Psicanálise e colonização. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1999.
 
SOUZA, H. Institucionalismo: a perdição das instituições. Temas IMESC. São Paulo: Soc. Dir. Saúde 1(1), 1984, p. 13-24.
 
SOUZA, L. de M. Inferno atlântico. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
 
SOUZA, O. Fantasia de Brasil – as identificações na busca de identidade. São Paulo: Escuta, 1994.
 
STEIN, C. As Eríneas de uma mãe. Ensaio sobre o ódio. São Paulo: Escuta, 1988.
 
STROZIER, C. B. Apocalypse on the Psychology of Fundamentalism in America. Boston: Beacon Press, 1994.
 
SUGG, N.K. Primary Care Physicians’Response to Domestic Violence. Opening Pandora’s Box. JAMA, v. 267, n. 23, June 17, 1992.
 
TOUBIANE, E. L’héritage: une pas si belle affaire que ça. In: Violence des familles maladie d’amour. Collection Mutations. Paris: Ed. Autrement, n. 168, 1997.
 
VASCONCELLOS, G. F. O cabaré das crianças. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1998.
 
VERARDO, M. T.; REIS, M. e VIEIRA, R. Meninas do porto. São Paulo: Nome da Rosa, 1999.
 
VOLICH, R. M. De uma dor que não pode ser duas. In: BERLINCK, M. T. (org.). Dor. São Paulo: Escuta, 1999.
 
WINNICOTT, D. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1965.
 
ZALTZMAN, N. A pulsão anarquista. São Paulo: Escuta, 1994.
 
ZYGOURIS, R. Ah! As belas lições. São Paulo: Escuta, 1995.
 
___ (1900). A interpretação dos sonhos. E.S.B. Op. cit., v. IV e V.
 
___ (1905). Três ensaios para uma teoria da sexualidade. E.S.B. Op. cit., v. VII, p. 129-250.
 
___ (1913). Totem e tabu. E.S.B. Op. cit., v. XIII, p. 13-163.
 
___ (1914). Neuroses de transferência: uma síntese. Trad. Abram Eksterman. Rio de Janeiro: Imago, 1987.
 
___ (1914). Sobre o narcisismo: uma introdução. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 77-113.
 
___ (1915). Reflexões para tempos de guerra e morte. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 285-312.
 
___ (1915a). O instinto e suas vicissitudes. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 137-68.
 
___ (1915b). O inconsciente. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 171-222.
 
___ (1915c). Repressão. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 147-62.
 
___ (1916). Criminosos em conseqüência de um sentimento de culpa. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 351-81.
 
___ (1917). Luto e melancolia. E.S.B. Op. cit., v. XIV, p. 245-66.
 
___ (1919a). Uma criança é espancada. E.S.B. Op. cit., v. XVIII, p. 193-218.
 
___ (1919b). O estranho. E.S.B. Op. cit., v. XVI, p. 235-71.
 
___ (1920). Além do princípio do prazer. E.S.B. Op. cit., v. XVIII, p. 13-75.
 
___ (1921). Psicologia de grupo e análise do eu. E.S.B. Op. cit., v. XVIII, p. 79-154.
 
___ (1923). O ego e o id. E.S.B. Op. cit., v. XIX, p. 73-148.
 
___ (1924). O problema econômico do masoquismo. E.S.B. Op. cit., v. XIX, p. 175-88.
 
___ (1925). A negativa. E.S.B. Op. cit., v. XIX, p. 263-69.
 
___ (1926). Inibição, sintoma e ansiedade. E.S.B. Op. cit., v. XX, p. 81-171.
 
___ (1927). O futuro de uma ilusão. E.S.B. Op. cit., v. XXI, p. 13-63.
 
___ (1928). Dostoievski e o parricídio. E.S.B. Op. cit., v. XXI, p. 181-200.
 
___ (1930). O mal-estar na civilização. E.S.B. Op. cit., v. XXI, p. 73-148.
 
___ (1933). Novas conferências introdutórias sobre a psicanálise. E.S.B. Op. cit., v. XXII, p. 63-112.
 
___ (1933). Por que a guerra? E.S.B. Op. cit., v. XXII, p. 191-208.
 
___ (1937). Análise terminável e interminável. E.S.B. Op. cit., v. XXIII, p. 225-70.
 
___ (1939). Moisés e o monoteísmo. E.S.B. Op. cit., v. XXIII, p. 15-152.
 
___ (1940). Esboço de psicanálise. E.S.B. Op. cit., v. XXIII, p. 153-221.
 
___ A adolescência. São Paulo: Publifolha, 2000.
 
___ A burrice do demônio. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.
 
___ A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1983.
 
___ A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.
 
___ A era dos extremos. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.
 
___ A noção de sujeito na psicanálise. In: Psicopatologia Fundamental. São Paulo: Escuta, 2000, p. 199-224.
 
___ A psicanálise e o sujeito colonial. In: SOUZA, E. L.A. Psicanálise e colonização. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1999.
 
___ A pulsão de morte. São Paulo: Escuta, 1988a.
 
___ A teoria pulsional na clínica de Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1999.
 
___ A ética e o espelho da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.
 
___ Adolescência pelos caminhos da violência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.
 
___ Amor, culpa e reparação. Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. I.
 
___ Amor, ódio, separação. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.
 
___ Amour, poésie, sagesse. Paris: Seuil, 1997.
 
___ Boletim de Novidades da Livraria Pulsional. São Paulo, ano X, n. 98, jun/1997.
 
___ Catástrofe e representação. Texto apresentado no III Congresso de Psicopatologia Fundamental. S. Paulo, abril de 1998 (mimeo).
 
___ Cena de sangue numa rua do Bronx. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano IX, n. 86, jun/1996 (II).
 
___ Crônicas do individualismo cotidiano. São Paulo: Ática, 1996.
 
___ Da horda ao Estado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.
 
___ Da violência. Brasília: Editora da UnB, 1985.
 
___ De crianças, pizzas e Mickey Mouse. Nota sobre a violência nas escolas. Estilos da Clínica. Revista sobre a infância com problemas, São Paulo: IPUSP, v. IV, n. 6, p. 112-25, 2o sem/1999.
 
___ De um impossível ao outro. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.
 
___ Delinqüência: resposta a um social patológico. Pulsional Revista de Psicanálise, São Paulo, ano XIV, n. 145, maio/2001, p. 5-13.
 
___ Dialogando sobre crianças e adolescentes. Campinas: Papirus, 1989.
 
___ Diccionaire du moyen français e Diccionaire de l’ancien français. Paris: Larousse, 1998.
 
___ Educação para o futuro. Psicanálise e educação. São Paulo: Escuta, 2000.
 
___ Em defesa de uma certa anormalidade: teoria e clínica psicanalítica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983.
 
___ Entretiens avec Didier Eribon. Paris: Gallimard, 1987.
 
___ Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
 
___ Esquizofrenia e miscigenação. Versão preliminar, 2001, mimeo.
 
___ Existe uma função fraterna. In. KEHL, M. R. (org.). Função Fraterna. Op. cit., p. 31-47.
 
___ Febem, família e identidade. O lugar do outro. 2. ed. São Paulo: Escuta, 1999.
 
___ Folie et democratie. Paris: Gallimard, 1998.
 
___ Introdução à Psicopatologia Fundamental, apresentado no II Congresso de Psicopatologia Fundamental. S. Paulo, abril de 1997.
 
___ La violence en milieu scolaire. Paris: ESF Editeur, 1996.
 
___ Les destins de la violence em psychopathologie. Un colloque de Monaco, destins de la violence. Journal de la Psychanalyse de L’enfant, Paris, Bayard, n. 18, p. 19-50, 1995.
 
___ Mythe et epopée, I (“L’idéologie des trois fonctions dans les epopées des peuples Indo-Européens”), II (“Types Epiques Indo-Européens: un Héros, un Sorcier, un Roi”), III (“Histoires Romaines”). Paris: Gallimard, 1995.
 
___ Narcisismo em tempos sombrios. In: FERNANDES, R.H. (org.). Tempo de desejo. Democracia e psicanálise. São Paulo: Brasiliense, 1991.
 
___ O Seminário. Livro 4. A relação de objeto. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.
 
___ O Seminário. Livro 5. As formações do inconsciente. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.
 
___ O corpo erógeno. Rio de Janeiro: Fon-Fon e Seleta, 1979.
 
___ O poder da identidade. In: A era da informação: economia, sociedade e cultura, 2. ed., São Paulo, Paz e Terra, vol. 2, 2000.
 
___ O pânico e os fins da análise. Percurso. Revista de Psicanálise, São Paulo, p. 29-37, 1o sem/1997.
 
___ O que é Psicopatologia Fundamental. Revista Latinoamericana de Psicologia Fundamental, São Paulo, v. l, n. 1, mar/1998, p. 46-59.
 
___ O reino encantado chega ao fim. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano IX, n. 86, jun/1996 (III).
 
___ O seminário. Livro 2. O Eu na teoria de Freud e na técnica de psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.
 
___ Os destinos do prazer. Rio de Janeiro: Imago, 1985.
 
___ Privação e delinqüência. São Paulo: Martins Fontes, 1987.
 
___ Psicopatologia Fundamental. São Paulo: Escuta, 2000.
 
___ Pulsões de vida. São Paulo: Escuta, 1999.
 
___ Pânico e desamparo. São Paulo: Escuta, 1999.
 
___ Refúgio num mundo sem coração. São Paulo: Paz e Terra, 1991.
 
___ Relatório de Atividades 1995-1997 do Laboratório de Psicopatologia Fundamental do Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. São Paulo, s/d.
 
___ Supervisão em Varas da Família e Juventude na perspectiva da psicanálise. Pulsional Revista de Psicanálise, São Paulo, ano XIII, n. 128/129, dez/1999-jan/2000, p. 43-6.
 
___ Tu quitteras ton père et ta mère. Paris: Aubier, 2000.
 
___ Um intérprete em busca de sentido – II. São Paulo: Escuta, 1990.
 
___ Um narcísico mundo novo. Boletim de Novidades da Livraria Pulsional, São Paulo, ano IX, n. 86, jun/1996 (I).
 
___ Violence and creativity. Trabalho apresentado no Seminário Teórico organizado pela Livraria Pulsional – Centro de Psicanálise, São Paulo, 2 de maio de 1999.
 
___ Viração. Experiências de meninos nas ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
 
___ e RODRIGUEZ, S. (orgs.). Psicanálise de sintomas sociais. São Paulo: Escuta, 1988.
 
___ “(A vida entre parênteses)”. Correio da APPOA, Porto Alegre, n. 80, jun/2000.